Português Italian English Spanish

Moradores e comerciantes reclamam da demora das obras na Orla Marítima de Salvador

Moradores e comerciantes reclamam da demora das obras na Orla Marítima de Salvador


29/06/2020


População reclama da demora das obras na Orla Marítima de Salvador

Várias obras se arrastam pela cidade, em especial no centro antigo de Salvador e na orla marítima. A pergunta tem que ser feita. Por que obras realizadas em países de primeiro mundo, que aqui pra nós, do mesmo porte, das que são realizadas no nosso país, custam menos, e tem prazo de entrega muito menor, que as projetadas no Brasil?

Bem, as respostas são as mais diversas. Por aqui são mais caras, por conta da corrupção. Do superfaturamento, da falta de fiscalização. Demoram, porque se arrastam ao longo de meses, até anos, para coincidirem ficarem prontas, próximas dos calendários eleitorais do nosso país.

No momento deste de pamdemia, na orla marítima de Salvador, do trecho Rio Verrmelho, Pituba, uma obra se arrasta por longos e intermináveis meses. E a população começa a reclamar. O número de assaltos cresce nesta região, por conta de locais que favorece a ação dos bandidos.

Em tempos de Zica, dengue, chikungunha, e covid-19, o sofrimento destas comunidades e muito grande. Sem falar dos problemas gerados na parte econômica. Sem pessoas para comprar por conta da Covid, das obras que nunca terminam como por exemplo na Avenida Sete, as lojas ficam fechadas, e a prefeitura, exige impostos na íntegra.

Pessoas sofrendo com todas estas doenças infecciosas, já que o material destas obras, ficam espalhados, e gerando lugares para a proliferação dos famosos mosquitos. Sem falar, nas ações da bandidagem.

Comércio Parado...

Como podem sobreviver, pequenos e médios empresários, que tantos empregos geram na nossa cidade. Que é carente de industrias, que praticamente, só conta com a força de seu comércio. E, este está fechado. Ou por conta da pamdemia, ou pelas obras da prefeitura.

Difícil! E ninguém levanta a voz, em defesa destes homens e mulheres, geradores de empregos, que estão com seus negócios parados, e ainda pagando altos impostos a prefeitura. Isto é no mínimo injusto...

Walter Queiroz